Pesquisar este blog

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Não entendo.

Gênio essa mulher! Não entender e se permitir isso, com inteligência, é a alegria da ignorância, de viver sem angústias e medos. Muitas vezes não entender é a paz.


"Não entendo. Isso é tão vasto que ultrapassa qualquer entender. Entender é sempre limitado. Mas não entender pode não ter fronteiras. Sinto que sou muito mais completa quando não entendo. Não entender, do modo como falo, é um dom. Não entender, mas não como um simples de espírito. O bom é ser inteligente e não entender. É uma benção estranha, como ter loucura sem ser doida. É um desinteresse manso, é uma doçura de burrice. Só que de vez em quando vem a inquietação: quero entender um pouco. Não demais: mas pelo menos entender que não entendo."


Clarice Lispector

3 comentários:

  1. "Não entender, do modo como falo, é um dom." Entender estrelas, é sempre. ;)) carol bega.

    ResponderExcluir
  2. "O saber que se sabe", sem explicações, sem fontes, sem entendimento. Simplesmente se sente que o saber vem do coração!

    ResponderExcluir

Sua opinião me interessa. Comente!