Pesquisar este blog

sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

Contradição comum

Eu sou uma eterna apaixonada
dessas raras e comuns
Que entregam sua alma inteira
e não recuperam un bout

Eu sou adulta avisada
dessas que sabem se erguer
Que caem na lama e aí coram
e choram que nem um bebê

Eu falo, articulo, eu rio
mas dentro de mim só eu sei
Que rio pra mim só de água
que água no olho é sofrer

Você também sofre que eu sei
eu queria só por ti viver
Cuidar dos teus olhos molhados
mas não posso de novo morrer

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião me interessa. Comente!