Pesquisar este blog

segunda-feira, 17 de setembro de 2007

Bobagem

Que bobagem... que bobagem, meu Deus.
Tão intrincado e tão simples, tão bom e perfeitamente entrelaçado.

Você não sabe nada sobre o amor, e sabe tanto quanto eu sei.
Teu caso é outro, o dela é diverso. Meu próprio caso, obrigada.

Eu sei o que fazer, e não faço. E penso, e não ajo.
E ajo, e, afortunado, me acho. Encontro e me consigo estar convicto.

Ai... Palavras. Agarrar um sentimento - um pensamento, tecer em letras para abrandar o peito.
O belo é eternamente agradável.

Há muito espaço no universo para compreender o bem-estar de quem o vê.
Quero me permitir alcançar até a última estrela.

4 comentários:

  1. Acho que seus pensamentos e sentimentos estão a milhaooo rsssss... ;P

    ResponderExcluir
  2. Pra voce ohhh ;)

    Perguntei a um sábio ,
    a diferença que havia
    entre amor e amizade,
    ele me disse essa verdade...
    O Amor é mais sensível,
    a Amizade mais segura.
    O Amor nos dá asas ,
    a Amizade o chão.
    No Amor há mais carinho,
    na Amizade compreensão.
    O Amor é plantado
    e com carinho cultivado,
    a Amizade vem faceira,
    e com troca de alegria e tristeza,
    torna-se uma grande e querida
    companheira.
    Mas quando o Amor é sincero
    ele vem com um grande amigo,
    e quando a Amizade é concreta,
    ela é cheia de amor e carinho.
    Quando se tem um amigo
    ou uma grande paixão,
    ambos sentimentos coexistem
    dentro do seu coração.

    ResponderExcluir
  3. Mutatis mutandis: Nomes são apenas nomes.
    Eis eu novamente. Sr. "Anônimo 1".
    Disse Sartre, e eu sempre o cito, sem medo de ser repetitivo, que o homem é nada mais que o conjunto de suas ações. Ou seja, ele só existe na medida que se determina, exteriorizando atitudes e relações no mundo.
    Seria então nossa existência tolhida pelos nossos receios, pudor ou até um pouco de covardia? Será que o plexo das relações sociais nos devora todos os dias?
    Seriamos nós mutilados pelos valores sociais ou pelo medo putativo daquilo que vai nos atingir como reação de nossos atos?
    Faz-me pensar seu terceiro parágrafo...
    O quarto então... Nele reflito em silêncio, que falo? Construir longas cadeias do mais acertado português jamais vai colocar aos olhos de qualquer pessoa o que se sente. Há excelentes tentativas por parte de grandes poetas, gênios da literatura... Mas se nem eles conseguiram, quem sou eu para tentar?
    Quanto ao bom e simples... A experiência me ensinou que tudo de bom sempre está em sua mais pura forma, quanto mais puro, melhor é. Ao passo que quanto mais puro mais abstrato é e mais distante, anos-luz, da velha compreensão humana.
    Sobre amor, nada sei, adoraria ajudar, não posso. Amor... Amor e paixão. A vida é uma conjugação de paixões e é a soma e intensidade dessas que mede o quanto vivemos... E isto junto do bom e velho Sartre, será?
    Boa noite minha cara.

    ResponderExcluir

Sua opinião me interessa. Comente!